Boas...

Este fórum destina-se a todos os amantes de plantas carnívoras.

O nosso objectivo é criar uma comunidade com o mesmo gosto especial por estas plantas maravilhosas. Por favor divulgue o nosso forum para a comunidade crescer e podermos aprender cada vez mais uns com os outros.

Agora entre nela e venha falar deste tema tão interessante.

Os meus cumprimentos...

    ficha de cultivo pinguiculas

    Compartilhe
    avatar
    Henrique C.
    Membro Junior
    Membro Junior

    Mensagens : 196
    Data de inscrição : 29/01/2010
    Idade : 11
    Localização : Porto-Portugal

    ficha de cultivo pinguiculas

    Mensagem por Henrique C. em Qua Fev 24, 2010 10:11 pm

    Ora bem para os novos membros a quem isto possa escapar, vou colocar aqui a explicação dada pelo membro Michael benedito.
    Espero que ele não se importe Smile

    "- As Pinguiculas são muito, mas mesmo muito tolerantes ao substrato em que podem ser cultivadas, desde que tenham uma rega adequado a esse mesmo tipo de substrato (isto é importante). Pode ser cultivadas em misturas puras de areia, vermiculite, esfagno, turfa, terra de jardim, misturas das anteriores, ou ainda plantadas sobre rochas e mesmo assim desenvolvem-se perfeitamente! Acham impossível? Olhem que não podiam estar mais enganados!
    Além do mais o facto de serem carnívoras não significa que os níveis normais de nitrogénio no solo comum sejam letais para elas, pois nem todas as carnívoras são iguais. As pings, pelo contrário, até agradecem pois as que são plantadas em solo normal crescem muito mais depressa do que as que estão em areia. Mesmo que deixe as de terra normal à fome e passe a vida a alimentar as que cultivo em areia, com os insectos mais suculentos que existirem, as de solo normal sempre crescerão mais depressa! Isto é a derradeira prova de que a insectivoria é só, e apenas, um complemento nutricional e nada mais! E muitas vezes esta é demasiado super-estimada.



    Não sei se repararam mas eu não mencionei perlite acima. Isto porque não a utilizo, não necessito dela pois sei quando as plantas devem ser regadas. Mas pode ser uma grande ajuda para aquelas pessoas que sofrem de SIE (sindroma da irrigação excessiva) Neste caso torna-se fundamental adicionar perlite no substrato, segundo a seguinte correlação: Quanto mais gostarem de regar as plantas = mais e mais perlite deve ser adicionada ao solo.

    Isto porque a regra de ouro (o tal """segredo""" que tanto falas, Narciso) encontra-se não no aspecto da roseta da ping em si, mas no que está debaixo dela. Refiro-me àquelas coisas branquinhas e finas que crescem da base da planta, mais conhecidas por raízes. Mantenham isto sempre em mente:

    "Uma pinguicula com um sistema radicular bem desenvolvido é e sempre será uma planta forte e saudável"

    Então como fazer com que as raízes cresçam saudáveis?

    1 - Nunca deixar as plantas assentes em água por mais de 48 horas. As minhas são irrigadas de forma a que os pratos fiquem apenas 10 a 25% cheios. Depois só volto a regar depois da água ter desaparecido toda e da superfície do solo secar.

    2 - Na natureza, muitas vivem em solos aparentemente encharcados, mas a verdade é que as águas movimentam-se no subsolo e trazem consigo o oxigénio para as raízes. Nunca se esqueçam que as plantas em seu habitat suportam certas condições extremas, condições essas que são letais em cultivo. Se encharcarem as vossas plantas, as raízes rapidamente apodrecem, pois a água encontra-se estagnada no prato e no solo e as poucas raízes que restem mantêm-se à superfície, pois se penetrarem em solo alagado e sem ar morrem. Não obstante, a roseta de folhas da vossa planta não revela quaisquer sintomas de decadência durante um período relativamente alargado de tempo. Durante este intervalo, o vigor diminui de intensidade (mas isto muitas vezes não é facilmente perceptível), muito embora o diâmetro da roseta seja mantido constante. Depois a planta começa por ficar cada vez mais pequena até morrer e/ou então pode apodrecer repentinamente a partir do centro. Isto é especialmente verdade durante o período de dormência. Estes são danos a longo prazo e muitas vezes os cultivadores são levados a acreditar que as razões por detrás da morte das plantas são outras que não o encharcamento, pois estão habituados a ver as plantas no habitat muitas vezes encharcadas....

    3-Então como fazer para que as raízes não morram? É simples: Independentemente do substrato que utilizem, deixem a superfície secar. O vaso poderá até secar completamente que não existem quaisquer efeitos nocivos, nem mesmo durante o período de crescimento. A única excepção é o mês de Agosto, quando está muuuuito calor, em que devem regar novamente quando passam 2-3 dias depois da água ter sido aspirada do prato. Muito embora o solo nunca seque no habitat de muitas pinguiculas durante a sua época de crescimento, ao permitirem que o substrato seque levemente em cultivo, estão a dar oportunidade às raízes de respirarem e assim de se manterem vivas. Desta forma nunca terão quaisquer problemas! Se forem muito ricos, podem em alternativa construir um paludário gigante e mantê-las encharcadas, que o resultado será o mesmo, desde que haja oxigenação da água. Mas eu acho mais fácil deixar a superfície secar...

    Desde 2004 eu cultivo as minhas da seguinte forma:

    - em 100% turfa;
    - em vasos pequenos, e de preferência altos;
    - nunca as deixo encharcadas por mais de 48 horas
    - no verão deixo um a dois terços da totalidade do substrato secar antes de voltar a regar
    - no inverno, especialmente quando está frio, deixo-as completamente secas durante dias a fio (o record foram 2 semanas mas tudo irá depender das vossas condições). Mesmo assim nunca perdi plantas por desidratação, mas já perdi muitas no início por excesso de água...

    Um factor que ainda não foi referido: a luz!

    As minhas são cultivadas em luz velada (30% sombra) por isso mantê-se verdes. Como eu não tenho muito tempo pra dedicar a elas por causa das outras plantas todas, cultivo-as deste modo, mas nunca tenho rosetas pigmentadas de antocianinas (isto no caso da esseriana, pois a weser fica facilmente pigmentada acima dos 50% luz). Já obtive esserianas vermelhas como nas fotos que alguém mostrou atrás em sol pleno, mas aqui é preciso ter mais cuidado com as regas... Em luz velada posso esquecer-me de regar por 2 semanas, talvez um pouco mais, que as plantas sobrevivem na boa. Agora ao sol directo, uma semana no máximo dos máximos... Por isso jogo pelo seguro. Mas para quem tem poucas plantas, pode optar pela luz directa, só tem é que ter atenção suplementar. Espero que entendam o que eu quero dizer."


    By: MICHAEL BENEDITO

    PS para michael: se quiseres editar adicionar umas fotos ou qualquer a gente incentiva Very Happy



    abraços a todos
    avatar
    Mentesimples
    Membro Junior
    Membro Junior

    Espécie favorita : Cephalotus follicularis
    Mensagens : 134
    Data de inscrição : 22/10/2008
    Idade : 29
    Localização : Massamá

    Re: ficha de cultivo pinguiculas

    Mensagem por Mentesimples em Qui Fev 25, 2010 2:33 am

    Só tenho uma questão acerca do que está escrito acima. A única pinguicula que eu tenho neste momento é a Pinguicula x Tina, que já dividi com o ano passado e cujas condições de cultivo verificam exactamente o que foi dito acima. Mas sei que os especialistas na coisa diferenciam 3 tipos de pinguiculas: as de climas temperados, temperados quentes e tropicais ou mexicanas (isto traduzido à letra do inglês, não sei se temos melhores termos em português).

    As condições de cultivo acima referidas são as que são referenciadas no livro "The savage garden" do Peter d'Amato, sem tirar nem pôr, para as tais pinguiculas tropicais ou mexicanas, nas quais se incluem por exemplo a Pinguicula x Tina (e quase todos, se não todos, os híbridos) e a Pinguicula esseriana.

    Porém, para as pinguiculas consideradas de climas temperados (ex. Pinguicula vulgaris) e temperados quentes (ex. Pinguicula lusitanica) as condições de cultivo consideram-se diferentes, pelo menos segundo o livro! Isto é muito notório particularmente no que toca à rega, em que ele afirma que as destes climas devem ser mantidas sobre um prato com água o ano inteiro, sendo regadas por cima frequentemente. Volto a referir que não tenho nenhuma pinguicula destes grupos e por isso não posso falar por experiência própria, mas o Sr. Peter d'Amato é um cultivador de plantas carnívoras que venero, e por isso guio-me muito pelo livro dele..

    O que é que dizes quanto a isto Michael, tens experiência neste tipo de pinguiculas? Não seria melhor expandirmos um pouco mais a secção e abranger estes grupos todos?

      Data/hora atual: Sex Jul 20, 2018 7:30 am